quinta-feira, 15 de julho de 2010

Baixaria a bordo



Dentro do horário, pronto para a decolagem, o Boeing 737-300 já na cabeceira da pista, o comandante avisou que infelizmente teria de retornar com a aeronave, porque uma passageira se recusava a voltar a poltrona para a vertical, conforme determina norma de segurança da Anac. A dona, uma loura de cabelos lisos e longos, alegava que o banco naquela posição a incomodava e não mudaria de atitude.


O tempo esquentou. Havia vários assentos vazios, inclusive um ao lado dela que, no entanto, se negava a trocar de lugar. Alguns passageiros se ofereceram, inutilmente, para trocar de lugar mas a criatura manteve-se irredutível. O tumulto aumentou quando o comandante novamente pediu desculpas e avisou que retornaria ao terminal para o desembarque obrigatório da passageira selvagem, que estava pondo em risco a segurança dos demais.


Irritados, muitos passageiros partiram para a baixaria e as ofensas foram inacreditavelmente pesadas. Começaram a gritar barbaridades como “Entrega ela pro Bruno”, “Manda pra Vespasiano”, “Chama o Macarrão”, “Tem que desossar e jogar para os pit bull", além de outras barbaridades como “Quer conforto, anda de primeira classe, sua mal-amada”, “Isso é frescura de dondoca” , “Isso é falta de homem”, etc. Como convém aos brasileiros do andar de cima, ninguém se identificou. Ficou todo mundo ofendendo na covardia do anonimato, perdendo a razão no protesto deseducado.


Protestando muito, a passageira foi obrigada a desembarcar escoltada por dois policiais federais e um comissário da companhia. Duas testemunhas registraram seus dados e se ofereceram para depor ao comandante. Um passageiro prometeu processar a rebelde, caso perdesse a reunião importante que teria naquela tarde em Belo Horizonte. Não se sabe se a passageira irredutível ficou presa ou foi internada.

Fonte: Aydano André Motta (Ancelmo.com/O Globo)
Photo by: divulgação

4 comentários:

Solange Venegas disse...

É inaceitável o prejuízo causado para a cia. aérea e demais passageiros, só nos resta lamentar este ocorrido pois com certeza esta pessoa não terá como pagar pelos danos que causou.

Rodrigo disse...

E isso foi onde?

José Carlos Fernandes Pereira disse...

Já é hora das companhias aéreas pensarem em treinar seus passageiros para viajar em avião. Com o crescimento da aviação brasileira e com preços de passagens mais acessíveis, pessoas que nunca viajaram de avião estão fazendo isso agora e é um mundo novo para elas.Não sei se é o caso dessa senhora , mas muitas pessoas não conhecem as regras de segurança.

Rossini Daniel disse...

Caros colegas, acredito que depois de lê essa reportagem nao falta ver mais nada, acredito que nesse caso ai o mais indicado seria uma clinica. Tive pena dos outros passageiros que tinham compromissos.

SEGUIDORES AEROBLOG

Total de visualizações de página